amr

amr

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O meu diário...

Escrever sempre foi um dos meus grandes escapes. Quando não queria falar sobre as coisas que me aconteciam, escrevia. Escrevia sozinha, no meu quarto, e guardava todas as cartas e textos a sete chaves, numa gaveta onde saberia que ninguém iria tocar. 
Tinha medo e vergonha que alguém descobrisse as coisas que escrevia porque falava da minha vida, coisas muito minhas... muitos desabafos, sofrimentos, mas também alegrias.
Escrevia coisas que miúdas como eu, (que vivem sempre com um sorriso na casa mesmo quando tem o mundo de pernas para o ar) por vezes, tem medo de partilhar com as outras pessoas.
E eu tinha medo, tinha o meu orgulho sempre maior que tudo.
 Não queria que ninguém soubesse que sofria, que tinha desentendimentos com o meu namorado, que tinha frustrações, etc... 
Com o tempo e com a idade, fui perdendo a vergonha mas nunca o orgulho e houve um dia em que guardei o meu cardeninho da escrito num local onde sabia que não iria encontra-lo tão cedo.
Ao guardar este caderno eu coloquei um ponto final numa história que durou muitos anos e que estava praticamente toda retratada ali.
Foi no ano de 2007 que o guardei e foi hoje, passados 4 anos, que eu tive coragem de o voltar a abrir.
Não consigo explicar o que senti! Uma vontade imensa de ler tudo o que lá estava, mas por outro lado, algo a contrariá-lo, algo que não me deixa nem sequer ler a primeira frase até ao fim.
Há algo que não me deixa lê-lo! Talvez um medo enorme de remexer num passado tão intenso e emotivo.
Toda eu sou sentimentos, toda eu sou coração... Não consigo viver as coisas às metades, vivo tudo intensamente e este diário que está aqui ao meu lado é a prova disso.
Gostava de partilhar alguns textos dele com vocês. Gostava e vou conseguir fazê-lo, não hoje... talvez amanhã, depois de amanhã... ou então quando o meu coração assim o quiser. :)


2 comentários:

catherine disse...

eu também já escrevi num diário e adorava +.+
sim, o nate é o protótipo de homem perfeito, mas a voz do Chuck arrepia-me toda, adoro a personagem que ele faz, é um bad boy perfeito. Quanto ao Dan, no final da 4ª temporada comecei a achar-lo um pouco falso, mas vamos lá ver o que a 5ª nos reserva :')

Any =D disse...

Quando quiseres partilhar algo com certeza que vou ler com todo o gosto. Se um dia precisares de desabafar, por vezes publicar no blog pode não ser tão mau assim, podes estares a expor a tua vida, mas sabes que vão haver palavras amigas que te vão animar um pouco. Falo por mim, ter um blog onde possa partilhar o que sinto tem-me sabido bem :)